Páginas

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Conto...NOTÍCIA

NOTÍCIA

Toca o despertador, 07:00 horas da manhã, mais um dia tem inicio na vida de Jorge de Barros, funcionário de uma repartição pública no centro da cidade, onde atuava a 11 anos como técnico em computação. Sendo um dia como outro qualquer, toma seu café e deixa em casa esposa e 2 filhos, e vai dirigindo-se lentamente para o ponto de ônibus mais próximo de sua casa.

Jorge sente a monotonia, está mal humorado. Acha que sua vida é a mesma á vários anos, quase sem sentido, pela lentidão que se arrastava, (“coisa de funcionalismo público”), vários anos a mesma rotina no trabalho, em casa, na Igreja, no Natal, no Ano Novo, Páscoa e outros feriados e dias comuns em sua vida. Tudo era igual, porém aquele dia seria diferente, ele sentia isso, seria um dia diferente marcante em sua vida.

O ônibus para, entra, cumprimenta o cobrador e outros conhecidos, senta-se a observar o lado de fora ponto a ponto. Neste momento Jorge percebeu sentar-se ao seu lado uma jovem de aproximadamente 21 anos, cabelos castanhos, olhos claros, rosto bem formado, porém não estava bem reparou, estava pálida assustada, parecia angustiada, deprimida, notava-se isso em seu semblante baixo e triste.

Dirigindo-se a Jorge, ela disse estar com problemas, e já se levantando Jorge disse que também têm os seus. Chegando ao trabalho pronunciou um bom dia mal humorado, Joana sua colega de sala foi ter com ele. Perguntando o que acontecera, a resposta foi imediata. “Problemas”, disse ele, “todo mundo os têm e logo de manhã querem jogar para cima de mim ah! Tenha paciência”.

Joana com sua grande paciência o questiona e o próprio á explica o ocorrido dentro do ônibus e a mesma o adverte que isso não era motivo para se chatear tanto, e que ele precisa de férias, abrindo um belo sorriso em seguida, e pondo as mãos sobre os ombros do amigo, que neste momento dizia não ter nada com os problemas dos outro. E daí que ela tivesse terminado o namoro, ou brigado com os pais, ou perdido o emprego ou coisa qualquer. “Ah! E eu que pensara ter um dia diferente, onde estava com a cabeça” dizia ele enquanto abria a janela de sua sala de trabalho. “Quem me fez pensar isso por um momento me enganou”.

Quase no fim do expediente Joana liga o rádio numa estação local, como era de costume para ouvir umas músicas sertanejas românticas que eram exibidas naquele horário. Jorge de Barros também apreciava aquele momento quando interrompem a programação normal. ”Interrompemos nossa programação para notícia de última hora”.

“A unidade móvel do corpo de bombeiro acaba de encontrar o corpo de jovem de aproximadamente 21 anos, cabelos castanhos, olhos claros, 52 quilos, 1,72 metros que testemunhas afirmaram terem visto quando ela aproximou-se do corrimão da ponte Florentino Ávidos e num único gesto atirou-se de uma altura de 25 metros. Tendo seu corpo levado pela correnteza que é acentuada naquele local”. “E segue agora nossa programação normal, com Zezé de Camargo e Luciano. Saudade Bandida”.

Neste momento Jorge de Barros, levanta-se da sua cadeira e vai a direção de Joana que se encontra em estado de choque e diz: "isso acontece todo o dia". Joana suspira e começa a chorar e desmaia ali, na frente de todos.

(Lucimar Simon)

2 comentários:

  1. Caraaaaca... vc ta melancólico, heim?! Bjão Bocão

    ResponderExcluir
  2. Muito bom....Adorei!!!!!!

    ResponderExcluir

Após a leitura do texto poste um comentário se quiser.
Ficarei muito feliz em saber que você leu e algo de importante foi acrescentado a sua vida e pensamento. Sim, outra coisa. Respostas aos comentários serão dadas aqui, se estes forem pertinentes ou necessarios dos mesmos. Por tanto volte após seu comentario. Volte sempre a casa é sua é nossa é de quem vier.