Páginas

terça-feira, 3 de abril de 2012

Texto: COLETIVO E PÚBLICO

COLETIVO E PÚBLICO

Biblioteca, ponto. Nada que possa interessar. Almoço um pouco antes. Arroz, feijão, purê de, sei não, mas estava gostoso. Biblioteca. Ponto. Ônibus, um olhar, um sorriso. Policia! Polícia, magro, raquítico, mas têm sorte de ter uma bengala. Ponto 40. Um sorriso, alguém fala ao telefone a moda louca de ser. Dor de cabeça, um amor, amo você Neuza, minha querida Neuza, aspirina que salva em dias difíceis. Ponto. Ponto 40 era o ponto da ponta da arma. Um sorriso, um olhar, outra Neuza. Outra Neuza para abafar o caso, uma dona mandava nas filhas, as filhas não gostava, não gostaram de serem mandadas, mas gostaram do barulho da música no fundo da platéia. Uma dona resolve mandar no marido que prontamente acatou sua ordem. Marido é assim, a dona manda acabou. Filho é assim, a mãe manda e não, nada se modifica. Ponto, mas não a ponto 40. Minha parada e deixo seguir aquela loucura e parto para minha loucura individual. Neuza! Ajuda-me Neuza...

(Lucimar Simon)

Um comentário:

  1. Altera a ordem, altera os passageiros dessa longa viagem!!

    bjinhus

    ResponderExcluir

Após a leitura do texto poste um comentário se quiser.
Ficarei muito feliz em saber que você leu e algo de importante foi acrescentado a sua vida e pensamento. Sim, outra coisa. Respostas aos comentários serão dadas aqui, se estes forem pertinentes ou necessarios dos mesmos. Por tanto volte após seu comentario. Volte sempre a casa é sua é nossa é de quem vier.